Programa Água para Todos é assinado na Abertura da Colheita do Arroz ecológico

Ato contou com a presença de várias autoridades

Foi aberta hoje (02) oficialmente a 9ª Colheita do Arroz Ecológico no Assentamento Capela em Nova Santa Rita pelo governador, Tarso Genro. O ato teve as presenças do ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, dos secretários estaduais Luiz Fernando Mainardi, da Agricultura e Ivar Pavan, do Desenvolvimento Rural, além do presidente do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), Claudio Pereira.

De acordo com Pereira, o Irga está investindo em extensão rural e pesquisa, potencializando assim o desenvolvimento da lavoura orgânica. “Nós temos que trabalhar com os recursos hídricos de maneira muito eficiente”. Segundo ele, a experiência da cooperativa não se restringe somente ao plano econômico. "Neste local foi possível fomentar não só a produção, mas também a organização social", disse.

 O governador Tarso Genro afirmou que a prioridade do Governo é trabalhar junto com as comunidades de baixa renda do campo. Tarso também ressaltou que os assentamentos são uma das soluções para o desenvolvimento rural do Rio Grande do Sul. “E programas como o Água para Todos promovem a recuperação e consolidação dos assentamentos, viabilizando alternativas para que vençam suas crises e auxiliando modelos que dão certo”, destacou. Durante a abertura da colheita o governador e o ministro da Integração Nacional, assinaram o termo de empenho de R$ 38 milhões referente ao Programa Água para Todos, do Governo Federal. O recurso, que terá uma contrapartida do Estado de R$ 2 milhões, deverá ser investido em projetos de redes de abastecimento e poços artesianos nos assentamentos. A meta do Ministério é atender 47 assentamentos, em 18 municípios gaúchos. Bezerra afirmou que o investimento do Programa Água para Todos no Rio Grande do Sul é uma resposta a um apelo do Governo gaúcho para atender aos atingidos pela estiagem. Segundo ele, devem ser implantados 47 sistemas de abastecimento para levar água para os assentamentos do RS.

 

O secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, Luiz Fernando Mainardi, destacou que a experiência do Assentamento Capela está alinhada aos novos desafios da lavoura orizícola. Segundo ele, uma das formas do arroz aumentar a sua inserção no mercado é a diversificação de produtos. "Temos um grande espaço para ocupar com o arroz orgânico e com outros tipos, tanto no mercado interno como no exterior, o que proporciona uma renda diferenciada para o produtor", explicou Mainardi.

O ministro Pepe Vargas afirmou que a solenidade simboliza a sustentabilidade da agricultura familiar na produção orgânica. Lembrou que as mesmas famílias que viviam embaixo de lonas hoje estão num assentamento que produz resultados extremamente positivos para a economia gaúcha e para a agricultura familiar.

Para o coordenador dos programas de agricultura de base ecológica do Irga, André Luiz Oliveira, o objetivo do instituto com a produção de arroz orgânico é resgatar a amplitude do Irga, proporcionando alternativas para oferecer para o agricultor e para o abastecimento da população em geral.

A produção de arroz ecológico nos assentamentos da região de Porto Alegre teve início em 1999 com uma área de três a quatro hectares em caráter experimental. Atualmente no Estado são plantados 5 mil hectares de arroz orgânico, destes 3,8 mil hectares estão em áreas de assentamentos. O Assentamento Capela foi criado em 1994 e abriga cem famílias que moram e trabalham no local, em uma área de dois mil hectares. A unidade de beneficiamento tem capacidade para armazenar 90 mil sacas do produto e realizar todas as etapas do processo: recebimento do grão, secagem, armazenamento, beneficiamento e comercialização. Atualmente, no Rio Grande do Sul, são 417 famílias em 16 assentamentos distribuídos em 11 municípios envolvidos direta e indiretamente na produção de arroz orgânico, estimada em 280 mil sacas, 40% superior à safra passada, de acordo com dados da Coceargs. Os municípios de Nova Santa Rita, Viamão e Eldorado do Sul são os maiores produtores de arroz ecológico do Estado.

 

 Fonte: www.irga.rs.gov.br